quinta-feira, julho 05, 2007

Dor


Dos velhos fantasmas,
que me assombram,
o que mais temo é o da paixão
d’aquela que me arrebatou
enlouqueceu
deixou-me sem pé, rumo
de joelhos, humilhado
sombra que me persegue
onde vou
sem escapatória
esconderijos
assombra minhas lembranças
as torna amargas.

Procuro pela porta
entre tantas
que libertará
minha alma
enfim.


------------------------------------------

Prestigiem o Pseudo-Poemas. Leiam também o que publico no Cantábile. Em ambos estão os textos proibidos pela bíblia e pelo Vaticano.

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics