segunda-feira, janeiro 08, 2007

Ato insensato


Ato consumado, irrefletido
Entrega intranqüila
Queima-nos
Congela-nos
Ambigüidade sem sentido
Simples, profundo
Sentimento
Tal gosto agridoce
Entranha os poros
Invade a alma
Preenche-nos de um vazio
Pleno de paixão
Pobre coração





(imagem autoria de Olbinski, gentilmente cedida pela Daniele)

19 leram:

Daniele 7:49 PM  

Querido Ricardo,

Alma repleta,
de paixão.
Sentimentos afloram,
invadem sem compaixão.
Sentidos etéreos
sublimam,
exalam pelos poros
na entrega,
que consuma o ato.

Beijos na alma,
Dani

Claudia Perotti 9:00 PM  

Li o texto de cima para baixo e de baixo para cima ... ótimo das duas formas!

Beijinhossss

Saramar 12:24 PM  

Ah! a paixão...não, não é vazi, mas pode sim levar à insanidade.
Mas, é tão bom!!!

beijos

Afrodite® 1:35 PM  

Olha só Ri, tem sentimentos que queimam e congelam ao mesmo tempo... nos fazem levitar e viajar... vc escreve muito bem, sabe disso. aparece, tem novidades em casa.
bjo grande meu.
;)

Ingrid Littmann 8:25 PM  

Amar assim que é bom,beijos

Hilda 12:29 AM  

A verdade é que os atos insensatos são os que dão mais prazer, muitas vezes...Abraço

Márcia(clarinha) 12:38 AM  

pleno de paixão é consumado quente ou gelado, doce ou amargo é fato e de fato é forte o ato...
lindo dia,querido
beijossssssssss

Anônimo,  7:36 AM  

Invade-nos a alma sim! E é bom quando acontece!
Adorei a imagem.
Beijinhos

Lidiane 10:31 AM  

A paixão é mesmo insensata.
Mas, deliciosa. Até que acabe.
;)

Ricardo, essa imagem é de Olbinski.
Salomé, de Richards Strauss é o nome da ópera.

Um beijinho surrealista, como Olbinski, pra você. :*

Ricardo Rayol 11:45 AM  

Lidiane, cogito ergo sum. Logo corgitum est veritas.

A MUDANCA 4:51 PM  

Pois é, pobre coração!Mas ele não passa sem paixão, é o alimento dele...o amor

Beijo

FF

Jannine L'Amour 5:05 PM  

Vc é um artista, sabia? Beijo no coração e obrigada, viu?!

Hank 8:41 PM  

Fala Cara!
não conhecia esse seu blog alternativo. Tipo Dr. Jeckil / Mr Hyde. He, he, he.
Gostei

Cheers

Anônimo,  12:48 PM  

Pleno de paixão
Pobre coração



bonito poema....um abraço, desde Lisboa

Mônica Montone 5:44 PM  

Fiquei passaaaaaaada com essa imagem! DEMAIS!

beijos, querido

MM

Mel 11:28 AM  

A letra terá sempre a cor
que lhe quiseres dar
Quando esgotada a paleta
pede emprestado
o brilho de um cometa
o anil azul do mar
o verde do prato
o negro da negra noite
e ao vento ...
pede o lamento

Tens aí a alquimia para repintar a Magia ... na cor da Letra.

Bom estar aqui, "Pitbull".

Bjs d(a)e Mel

Moni 11:11 PM  

Linda imagem e lindo poema...

Nao sou muito boa comentando poemas, só sei dzer que são lindos.
beijos

B R E N A 11:48 AM  

Vim retribuir a visita e conhecrr o blog... mto bacana!
Bjos

Poemas e Cotidiano 11:18 PM  

Ato consumado, irrefletido//como toda a paixao...repentina
Entrega intranqüila//cheia de ansiedade
Queima-nos//sem fogo
Congela-nos//sem frio
Ambigüidade sem sentido//amor divido
Simples, profundo//verdadeiro, inteiro
Sentimento//forte momento
Tal gosto agridoce//cheiro de cio
Entranha os poros//faz-se um so ser
Invade a alma//tira-nos a calma
Preenche-nos de um vazio//cheio de silencios
Pleno de paixão//explode os sentidos
Pobre coração//pulsa como louco

Rick: Ousei um dueto.
Beijos
MARY

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics