sábado, junho 30, 2007

Posse


tu és minha
mulher amada, maldita
nutra-se de mim
beba-me
sorva-me
ao saciar-se
esconda-me
suprima-me, sublime-me
deixe-me
em gritos
silenciosos
roucos
vazios
mortos.


------------------------------------------

Prestigiem o Pseudo-Poemas. Leiam também o que publico no Cantábile. Em ambos estão os textos proibidos pela bíblia e pelo Vaticano.

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics