terça-feira, dezembro 26, 2006

Retomada

Escalo
Ao topo almejo
Falseio, recaio
Dolorosa queda
Sangue, lágrimas
Turvam meu sentido
Sem titubeio
Trégua
Retomo o caminho
Agora, alço-me
Alcanço agora

(desconheço a autoria da imagem)

9 leram:

Anônimo,  1:11 PM  

Como foi o Natal?

Beijinhos pra ti, Ric

Saudade.

cantabile 1:27 PM  

Escalar requer força, determinação e coragem.
Não lhe falta nada.

Afrodite® 2:44 PM  

Oi Ri, como foi o Natal meu amor?
Espero que tenha corrido tudo bem...
Vim agradecer a visita e deixar um beijo enorme pra vc... Quem sabe ano que vem eu possa estar mais presente...
Adoro vc...
;)

Sara 2:44 PM  

Oi querido...belo poema..
eu tenho que linkar esse seu blog lá...

sobre o natal, as sobremesas estavam na geladeira, pq tava muitoo quente nessa cidade.

como foi o seu?

abraços =)

Márcia(clarinha) 5:36 PM  

Tomara suas festas tenham transcorrido em paz com muita alegria.
Belo poema de força e vontade de prosseguir, amei!
lindo dia
beijossssssssss

Lidiane 8:42 PM  

Que o céu não seja o limite.
E que a cada queda, o levantar seja mais rápido, mais inteligente e mais virtuoso.

Beijos, Ricardo.

Daniele 10:41 AM  

Amigo Ricardo,

Céu anseio,
por montanhas íngremes.
Retomo caminhos,
desfaço moradas,
vertem lágrimas.

Caminho tortuoso,
sem trégua,
sem pausa,
apenas Retomada.

Beijos,
Dani.

Rose 11:55 AM  

Retomada

Escalo
Ao topo almejo
Falseio, recaio
Dolorosa queda
Sangue, lágrimas
Turvam meu sentido
Sem titubeio
Trégua
Retomo o caminho
Agora, alço-me
Alcanço agora.

Tem mais sabor de vitória quando não vem fácil.
Pode sentir muito sabor de vitória neste poema muito bem escrito e que alcances teu sonhos sempre.

Um 2007 no mínimo feliz e imensuravelmente poético para vc.

abraços

Poemas e Cotidiano 11:22 PM  

Nossa menino, que poeta vc eh! Adorei ter conhecido esse seu lado.
Beijos
MARY

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics