quinta-feira, dezembro 28, 2006

Libertação


Rio intempestivo
Traz-me o que lhe aprouver
Dúvidas, certezas
Angústias, caminhos
Suguem, remoinhos
Com seus vórtices
Vorazes, famélicos
Sua voz, seu cheiro
Impeça-me
A recordação
Do seu beijo, seu toque
Livre-me

7 leram:

Daniele 11:57 AM  

Amigo Ricardo,

Recorde-me,
livre-me,
do beijo,
do toque.

Liberte-me
das amarras,
do vórtice
que tende a devorar.

Impeça-me
de recordar,
naufragar,
retornar.

Apenas liberte-me.

--------------#----------------

Desejo que no Ano Novo, nossa poesia faça surgir uma Nova Sociedade, onde haja amor, em que cada um viva verdadeiramente, cada fração do tempo infinito, aproveitando a liberdade que a escrita nos proporciona, nesse cenário maravilhoso que se chama Vida".

Que os tons eleitos por ti em sua poesia formem um arco-íris humano, que exala paz, amor e fraternidade.

Feliz 2007 a ti e a todos os seus !

Beijos,
Dani.

Mônica Montone 11:56 PM  

uau, que beijo assassino é esse?

beijos, querido, beijos ternos, de amizade, de sorte e alegria... que 2007 seja um ano de plena poesia para você ;o)

beijocas

MM

Mel 9:12 AM  

Diagamos, amigo "Pitbull" que andamos em "oposição".
Na minha maresia eu chamo e tu afastas ...

Deveras inquietante esse teu poema ... digo eu...

Amigo, um excelente 2007

Um abraço d(a)e Mel

Anônimo,  3:08 PM  

amigo Ricado,
3 dias?? que giro.
O curioso é que eu tb gosto dos filmes que ai mencionas.
voltarei mais vezes.
1 sorriso luminoso
Lana

Rose 9:25 AM  

Fortíssimo e belo como todos os seus escritos.

abraços

rose

claudia 10:02 AM  

Meu Deus

que poeta mais lindo


beijo

Poemas e Cotidiano 11:22 PM  

Se eu soubesse que voce tinha esse Blog (nunca prestei atencao) nem ia no de Politica(risos).
Beijos
MARY

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics