sábado, dezembro 09, 2006

(Des)soneto




Ah, amor incontido, penetrante
Amor não correspondido, distante
Sonho perfeito, pela mágoa desfeito
Profunda saudade, incondicional,

Ah, amor inconsciente, permanente
Amor não permitido, pleno, ausente
Sonhos desfeitos, pela mágoa imperfeita
Saudade que esmaga, angustia

Sólido amor, impossível
Destinos cruzados
Caminhos interrompidos

Hora incerta, amor tardio
Perfeito sonho imperfeito
Saudade, amor ausente

(desconheço a autoria da imagem)

15 leram:

Saramar 10:19 PM  

Ricardo, boa noite.

Esse "des-soneto" (voce é inigualável) doeu demais.
Os versos sangram a dor desse amor impossível.
Emocionou-me até as lágrimas. De novo!

Muito bonito, muito triste!

beijos

d'anônima,  11:27 PM  

Ricardo

De todos, esse é perfeito.
Sei o que é isso. Dói demais
É uma ferida que não sara.

Saudade:
- substantivo feminino -

Rose 7:57 AM  

Ricardo,

Você se superando a cada poema e quando fala de amor é ainda muito melhor.
Este Des-soneto está perfeito, sensível e belo.

Araços

rose

Claudia Perotti 12:35 PM  

Tristinho, mas linda a tua maneira de se expressar e escrever, menino!
Parabéns e um excelente domingo para ti!

Beijinhosssss

Jéssica 2:09 PM  

Tá xonado, amore mio?...rs...
Gostei, mas doeu paxuxu...rs...
Carinhosssss

Daniele 10:52 PM  

Ricardo,

Realmente está difícil comentar, pq. tu censura demais.(muitos risos).

Não há como não dizer que o seu Soneto está maravilhoso, um prelúdio, que sangra, que jorra, que enaltece o sonho, o amor, a saudade, o ausente.!
Tenho uma tendência para apreciar por demais esse tipo de lirismo encontrado no seu Soneto, em que há uma certa melancôlia, não tristeza, mas uma pitada de saudade, de mágoa, de angústia. Pq. esses sentimentos são inerentes ao ser humano e são eles que fazem de poemas ou Sonetos os mais belos.

Desculpe-me, mas seu Soneto está Fascinante.

Bjos,
Dani

cantabile 11:06 PM  

"Sem palavras"
beijo

Ricardo Rayol 9:13 AM  

Este é um dos poucos que escrevi inspirado em alguém. Obrigado pelas palavras gentis.

Mônica Montone 10:43 AM  

Ricardo, querido, esse fim de semana assisti uma entrevista do Jorge Amado nos arquivos da Globo News em que ele dizia que o amor de verdade só existe [e só é verdadeiro] quando se consuma..... Tô até agora pensando nisso, rs*....

beijos e boa semana

MM

Cármen Neves 12:39 PM  

Ricardo,

Lindo os teus versos!
com admiração,
Cármen Neves.

Anônimo,  3:18 PM  

O amor... Todos buscamos o amor! Todos precisamos dele nas nossas vidas para nos sentirmos felizes!

O teu des-soneto é muito belo como tudo o que escreves aliás.

Beijo grande.

shirlei horta 3:19 PM  

O homem escreve.... hummmm. Boas novas. Vou acompanhar sua trajetória. Gostei do que li e acho que temos aqui um autor ainda contido. Como disse, vou acompanhar e ver onde esse rio deságua.

Anônimo,  1:13 PM  

Amigo, um apluso para o des-soneto!
Lindíssimo!
Ah!!! O amor! Inspirador, não é?
Beijo grande!

Mônica Montone 3:46 PM  

Passando..... Deixando beijos!!!!

MM

poemusicas 9:05 PM  

É a primeira vez que venho ao teu blog e tive uma maravilhosa impressão, o conteúdo dos teus textos poéticos. Muito bem elaborados.
Gostei mesmo.

Um abraço

Naeno

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics