sábado, abril 14, 2007

(Des)espero

vivo pesadelos
inescapáveis
círculos cercam-me
arestas, grilhões, cadeias
agulham-me
alma em tormento
fuga desesperada
desfigurada
abandono-te planos
mazelas
refugio-me
gélida paragem
estéril
transforme-se
abrigo, necessário
esconderijo

(desconheço a autoria da imagem)

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics