sexta-feira, abril 30, 2010

Pecador

Enveredei-me em estreita trilha. Carregado de pudores, pesados e disformes, fui largando-os a cada passo. Desvesti-me dos dogmas e pré conceitos. Vislumbrei, ao longe, na trama das árvores nuas, a ardente luz dos pecados. Tentei-me, ah essa insidiosa tentação. O bafejo quente da inveja, dos orgíacos e devassos, me cobriu. Tolo, cobicei o gosto das mulheres que não tive em minha casta vida. Tê-las todas em minha cama, somente minhas. Desfrutar, então, de prazeres jamais sentidos e enroscar-me na teia da luxúria. Desempenhar como vigoroso garanhão, altivo, potente, incansável. Desprezar o lânguido ressonar dos valentes guerreiros após árdua batalha. Já tive demais disso em minha outra vida. A melíflua preguiça.

Com minhas mãos abro o caminho nessa vereda, palmo a palmo, gotejando o meu puro sangue, embebendo a terra antes sacra que pisei. Desfiz-me de pudores, vesti-me de pecados, para adentrar o inferno e, em fúria incontida, ceifar os demônios.



(Imagem: A tentação de Santo Antônio de Salvador Dali, e que foi gentilmente enviada por uma amiga muito querida)

7 leram:

layla lauar 5:14 PM  

não existe humano sem pecado, sem conflitos, que não tenha caminhado errado, que não tenha dormido em camas estranhas em busca de um outro sabor. ( e se ainda não dormiu, já sonhou ou então desejou).

os pecados existem para que a vida valha à pena e a gente tenha do que se arrepender na hora da morte...pois "mais vale um pecador arrependido do que aquele que nunca pecou".

belíssimo texto e muito bem ilustrado.

adorei!

mundo azul 6:05 PM  

_________________________________

Bem... Essa palavra "pecado", eu detesto! Assombrou a minha infância e parte da minha juventude...
Mas, de certa forma, quando gravada muito fundo, ela não cicatriza mais.

Seu texto é muito bom! Um modo de enfrentar os próprio demônios, e, olha que temos muitos! Alguns dormem, mas, não será para sempre...


Beijos de luz!

______________________________

Tâmara 6:48 PM  

"Com minhas mãos abro o caminho nessa vereda, palmo a palmo, gotejando o meu puro sangue, embebendo a terra antes sacra que pisei. Desfiz-me de pudores, vesti-me de pecados, para adentrar o inferno e, em fúria incontida, ceifar os demônios..."

É incrivel a sua capacidade de criação. Acredito que seja reflexo da sua capacidade de sentir. Atribuo tudo isso ao absurdo de sermos bicho gente!..So peca quem sente!...caso contrário, ja esta morto ha muito tempo!

Quero levar o texto pro Intimidade! dando-lhes todos os créditos, claro! posso?

layla lauar 2:56 PM  

não resisti e tenho que comentar novamente. já li e reli este texto várias vezes e achei incrível a sua capacidade de traduzir em palavras essa luta interna que todos nós travamos com os anjos e os demônios que nos habitam e a (quase sempre) vitória desses últimos, pois nos oferecem as recompensas imediatas, que são os prazeres terrenos.

texto perfeito, de arrepiar a alma !!!

Joe_Brazuca 6:54 PM  

...mesmo com todo mal ou bem que nos possa afligir acalantar, se, no fim, mesmo que pecador ou santo, houver dignidade à ceifar nossos demônios ou santos que nunca seremos,por si só, já perdoa o execrável...

"Eppur si muove"...

Excelente seu texto, blog...

abs

Joe

Sylvia Araujo 10:52 PM  

E que possamos sempre nos despir e vestir, plantar e ceifar, nascer e morrer dentro de nós. A experimentação poética dos tantos que nos habitam reitera em nós a embasbacante pluralidade humana. Que sejamos para depois des-ser, ainda que em palavras - todos os nanosegundos de nossa existência. Amém.

Ritmo incrível, Ricardo. Excelente texto!

Beijoca

KImdaMagna 3:22 PM  

...é parece que o Demónio e a Tentação são um casal deveras constantes nas suas fidelidades de estarem juntos.
por outro lado no lado do real nas entrelinhas ( fendas)
dura, o teso mitho.

Um abração pr'a Vc depois de um
long time.

xaxuaxo

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics