domingo, maio 11, 2008

Busco

Caminho pelo vale das sombras,
castigado pelo sol oculto, nas nuvens,
árido é o chão. Estéril a terra, nua.

Quis eu que assim fosse.
abracei a causa da penúria.
os poços, secos, refletem minha amargura,
o (in)conformismo com o fim.

Nascido do ventre virgem, a fórceps.
Onde está você, mãe?

Minha homenagem a todas mães. Vivas ou não. Seja um leitor legal ou uma leitora camarada e dê um presente para sua mãe. Afinal, mãe só tem uma.

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics