quinta-feira, outubro 11, 2007

Areias

Estou me debatendo, e em debate fisiológico com minhas lembranças e inspirações. Em outras épocas ligaria o "foda-se", mas hoje tenho que me render a esse feitor cruel e sanguinário, o tempo. Senhor das mudanças, das arremetidas ferozes e cegas, de lutas cruentas e invencíveis. Tempo, maldito escravocrata, régio e arrogante. Toma-me os poucos fios de meada e transforma-os em pó e cinzas. Debato-me nas movediças areias, nos pantanosos caminhos que escolhi. Estou afundando, orgulhoso. Alguém, por favor, me salve. Eu suplico.

------------------------------------------

Aos sábados, estarei escrevendo um texto inédito no blog Livro Aberto. Prestigiem. Participo também do Coletânea Artesanal. São muitos trabalhos fantásticos. Recomendo a visita.

Leiam o blog Pseudo-Poemas. Leiam também o que publico no Cantábile. Em ambos estão os textos proibidos pela Bíblia e pelo Vaticano.

E agora no Memórias Póstumas de um Puto Prestimoso.

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics