quinta-feira, outubro 18, 2007

Marcha


Punhais e adagas me rasgam,
despedaçam-me aos poucos
marcas sofridas, profundas feridas
tronco, caule, ramo.

As pétalas já murcharam
morreram em agonia,
encolheram meus desejos,
em minha frenética marcha.

Deixo, ao longo do caminho,
os espinhos
das rosas já murchas que colhi.

------------------------------------------

Aos sábados, escreverei um texto inédito no blog Livro Aberto. Prestigiem. Participo também do Coletânea Artesanal. São muitos trabalhos fantásticos. Recomendo a visita.

Leiam o blog Pseudo-Poemas e o que publico no Cantábile. Em ambos estão os textos proibidos pela Bíblia e pelo Vaticano.

E agora no Memórias Póstumas de um Puto Prestimoso.


Em tempo: Troquei a palavra "amarga" pelas "já murchas". Como geralmente não reviso o que escrevo ddepois que parei para pensar ficava melhor assim.

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics