terça-feira, abril 28, 2009

Missiva

Minha dama, a quem no coração guardo, mesmo pequeno, um canto. Escrevo-te em pequenos versos, pequenos e talvez inúteis, sabedor que sou da distância amarga que nos separa. Digo-lhe, sem rodeios, que ainda trago a imagem fugaz de seu faceiro sorriso. Espero que o tempo esteja sendo benevolente e trazendo boas coisas, para seu manuseio. Estou fugindo do assunto. Às vezes a saudade faz sua ronda, batendo em minhas costas com seu açoite. Assim me lembro que nem tudo passou, nem passará. Espero que esta missiva não se perca, entre tantas que, com certeza, recebes. Leia com vagar. Navego agora mesmo para alhures, sem destino. Atrás do amor que perdi.

1 leram:

Sexlight 10:00 PM  

Uma carta para uma Dama, para um amor que perdi!

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics