segunda-feira, dezembro 08, 2008

Perverso

O inferno não queima em labaredas purificadoras. Nem nos congela os movimentos. O inferno são fragmentos. A perversa reversão de atos, antes passados. Vejo o garoto, que com seu bodoque acerta o bem-te-vi. Ou aquele outro, queimando formigas. Vejo mas não penso nisso. Coisas de criança. Mas, naquele momento fugídio, um pouco de areia é colocada na justa balança. Contra nós. Se nada fizermos, ou fazemos, somente um contra-tempo pode pendular o contra-peso.

Mas ninguém me disse ainda. O santo expiado em vida ganha o quê?

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics