quinta-feira, agosto 28, 2008

Foice

Levantara a gola do pesado casaco, mesmo assim não evitou que o frio cortante o degolasse.


--------------------


Divulgo aqui o lançamento do livro da Cris Passinato, que deixa um pouco de lado a sua produção científica e passeia pelo mundo das letras. Maiores informações sobre o livro e de como adquirí-lo, cliquem AQUI e AQUI. Ou então pelo email crispassinato3@gmail.com.

Sucesso querida.

Read more...

quarta-feira, agosto 27, 2008

Aviso relevante

Pessoal, estou impossibilitado de responder pontualmente a seus comentários e agradecer tantas visitas maneiras. Mas estou acompanhando sim e, na medida do possível, vou visitando, comentando e respondendo aos seus comentários feitos aqui.

Read more...

segunda-feira, agosto 25, 2008

Palavra

O poder da poesia não está na ponta dos dedos mas na face afiada da língua.

Read more...

domingo, agosto 24, 2008


folha derrama
gota translúcida, só
breve adeus.

Read more...

terça-feira, agosto 19, 2008

Mais um livro na praça


Enquanto minha inspiração não volta deixo aqui a sugestão. O escritor Marcos Pontes, do excelente blog Esculacho e Simpatia, lançou seu segundo livro. Tive a oportunidade de ler o primeiro que é ótimo.

Maiores informações AQUI.

Read more...

domingo, agosto 03, 2008

A saga

Novo episódio, AQUI.

Read more...

sábado, agosto 02, 2008

Partida

O agudo silvo do apito anunciou a partida. Na plataforma os últimos enfermos são amparados em seu embarque. Estranhamente não há despedidas. Apenas alguns sãos, com suaves sorrisos. Não há choros, lágrimas ou risos. Não há atrasados em louca disparada. O choque e a dor, companheiras das súbitas partidas, estão lá, impávidas, inclementes. O lento iniciar da viagem é ainda desconexo. Não desperta aqueles que dormem. Fecham-se as portas. Encerra-se uma estada, breve, mas jamais passageira.

Uma multidão encaminha-se, inexorável, à estação. Sem aflições, apenas incertezas. Ouço o sino dobrar, marcante, definitivo. Por todos nós.

Read more...

sexta-feira, agosto 01, 2008


Naufragado, no mais profundo abismo,
no deserto vil, desterrado,
alimentado por pútridas cascas, áridas gotas,
a tua lembrança é salva-vidas
é tua alma que me sustenta.

Espero, sempre, as mensagens nas garrafas.

Read more...

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics