sexta-feira, fevereiro 29, 2008

A vida entremeada

Todos sabem que tenho uma mini-novela em andamento. Havia dado um tempo. Hoje publico, novamente, os 3 primeiros capítulos. Vou dar uma geral nos próximos e re-publicar aqui. Divirtam-se

Primeiro Capítulo - Louco
___________________________


Observava, na esquina escura daquele beco fedorento. A fumaça do cigarro irrita meus olhos. Mas não perco de vista a janela. Não uma janela qualquer, a janela dela. Pensava nos últimos dias. Em como eu, cafajeste, havia caído tanto. Me sentia sem chão. Meu mundo todo revirado. Por causa dela. Todas as minhas angústias e medos surgiram. Como um furacão, varrendo para longe toda e qualquer esperança de proteção. Seu perfume, o cheiro que exalava depois do banho, suas curvas, aquele olhar safado e ao mesmo tempo terno. Suas doces palavras de carinho. As horas ao meu lado. Sua mão me amparando quando caía na sarjeta, embriagado. Sangrava por ela. Pela mulher-amante que tinha esbarrado sem querer. “Mas que merda!”, exclamei mentalmente. Onde estariam meus brios de macho comedor? Como iria encarar a roda do bar. Onde conto minhas conquistas, cada detalhe sórdido, das trepadas que dava. Onde bebo com prazer os olhares invejosos dos meus amigos. Onde tantas vezes enchi a cara para esquecer, dela. A janela escura não dava o menor sinal de esperança. Esperança de quê, porra? De ter uma vidinha mais ou menos, da infernal rotina do casamento? Do papai-e-mamãe regulamentar, que tantas vezes ouvira os otários casados reclamarem? Que se foda. Eu quero esta merda. Casaria com prazer, com ela. Por que não disse antes? Sou uma besta. Agora estou aqui, numa esquina fétida, angustiado, cercado por amarguras, desesperançado. Onde estará ela? No mínimo trepando com outro otário, que se deixou levar pelo canto de sereia. Vagabunda. Meus chifres crescem. Cadê a maldita garrafa? Aqui, aqui, ah, minha companheira, que tanto me consolou. Que presenciou minhas conquistas fugazes. Apoiou nas horas incertas e inúteis. Dê-me um gole. Um não, vários. Preciso de lucidez, coragem. Vislumbro um vulto. Há luz agora. É ela, minha amada. Não, a piranha que me sugou a alma. Apago o cigarro, o último. Dou meus passos. Dou-lhe um tiro.

Vagabunda.

Segundo Capítulo - Escritor
___________________________


Depois de horas, olhando aquela resma de papel, me dei por vencido. Meus dedos travaram, minha boca secara. A mente se transformara em um campo estéril, sem vida. Minhas idéias se diluíram no mar de álcool consumido. Olhei o fundo do copo. Nenhuma gota, nada. A inspiração não deu sua cara, debochada. Ficou, talvez, perdida em meio à fumaça, dos muitos cigarros que fumara. O silencio era quebrado pelo bater ritmado do relógio de parede. A penumbra sufocante daquele quarto não me dava trégua, insuportável. Angustiado resolvo sair. Pela janela observara o movimento sutil da cidade. Talvez ali encontrasse essa musa desgraçada que atira, sem piedade, seu escárnio em meu rosto. Um vento frio me envolve. Uma bofetada. Encolho-me. Caminho pelas ruas já escuras. Ouço o som dos carros, das risadas bêbadas de algum bar próximo. Meus passos são absorvidos pelo pulsar do coração pétreo que sustenta a cidade. Pedras, pedras. Desvio para o beco mais próximo. Talvez ali, em meio ao fétido cheiro de lixo apodrecido, encontre-a. Musa, vagabunda. Flertando com outro, como uma rameira. Talvez na próxima esquina. Atento, ouço passos. Um tiro. O grito amargurado transborda da janela semi-aberta.

Encontro, enfim, a inspiração.

Terceiro Capítulo - Megera
__________________________


Cidade miserável essa, 3 horas para chegar em casa, bosta de subúrbio. E isso de acordar às 5 da manhã? Não é para uma cristã como eu. Bem feito, sua burra. Bem que minha mãe dizia que era para ter casado com o Ernani, o que virou supervisor do supermercado. Esse zinho aqui é um cretino, um merda mesmo. Sem ambição. Um coitado. Fica o dia todo largado por aí, deve estar no bar agora, o desgraçado, bebendo com aqueles amigos chinfrins. Ainda bem que não tem futebol. Mas a Inês é morta, como dizia meu pai. O que é pior é o ônibus. Ficar espremida em pé é coisa de pobre. Aquela esfregação é coisa do demônio. E aquele cheiro de bodum, meu Deus. Ah se soubessem que gosto mesmo é de um homem perfumado, e ainda quando é bem servido. Que nem o namorado dessa vaca do lado. Bem apanhado, educado, respeitador. E a putinha ainda por cima esnoba com ele. Não sei o que ela viu naquele outro, o que tem cara de tuberculoso. Isso ainda vai acabar mal. Eu que não vou fazer fofoca. Se bem que se o bonitão largasse dela eu podia me aproveitar. Já vi como ele olha pra mim, guloso. Guloso e safado, o homem. Ai meu Deus, tenho que ir a igreja. Já tem uma semana que não me confesso. E essa quentura aqui no meio das minhas pernas não é normal. O inútil não preparou nada pra janta. De novo. Vou me virar com o que tem. Estou tão cansada. Bosta de vidinha ridícula. Bosta, bosta, mil vezes bosta. E a vaca da vizinha no bem-bom. Deve estar trepando por aí, a meretriz. Olha ela aí chegando toda faceira, que inveja. Ai meu Deus, um tiro.

Deu cabo dela o corno. Bem feito, rameira.

Read more...

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Ciclo

João plantou o pasto, onde as vacas ruminaram até que, de suas tetas, saiu o leite, transformado em nata, que o matou, em 10 anos. Virou adubo.

----

Mais um teste de letras.

Read more...

terça-feira, fevereiro 26, 2008

Queda

Caminhava célere, a urgência o chicoteava. Quase cego pelo desespero, um tropeço, precipício abaixo.

Read more...

National Kid e as ninfas de urânus

os que acompanham a saga intergaláctica, tem capítulo novo no "A Casseta do Cabral". Leiam AQUI.

Read more...

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Só, caminho


Entre tantas memórias
teimosas
a tua é que ficou,
caminho por estradas bifurcadas,
cercado pelos bambuzais,
o som melancólico,
da árida brisa.

O caminho, sem fim,
sem pouso tranquilo,
o faço
amparado por bengalas,
esperança e saudade.

Mas só resta a dor perene do fardo,
que nos ombros lanhados,
queima,
não cicatriza.

Read more...

quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Procura-se


Que busca é essa,
incessante, insana,
pela musa perfeita,
a intocável santa oferecida?

Procuro as imperfeitas,
as putas sofridas, as loucas, sujas,
as bêbadas do cabaré,
estas sim, eternas,
no frio mármore,
talhadas,
na tela alva e crua,
ungidas,
em versos, de tristes letras,
declamadas.

Onde estarão elas?


-----------

Está no ar o nono episódio da saga inter-galáctica "National Kid e as ninfas de Urânus". Não percam!! Leiam AQUI, no A Casseta do Cabral.

Read more...

quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Fuga


Reviro os armários,
de lembranças caóticas,
não divido os fardos,
do imaginário ser irreal,
que vejo refletido na janela.

A estação me espera,
não de flores ou folhas descaídas,
a da partida, a fuga escolhida.

Fiz as malas,
as lembranças, agora,
ordenadas.


--------------

A verdadeira face da minha irmã siamesa, vejam AQUI.

Read more...

segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Amargor


Amargo travo,
do sentir deglutido,
resseca a língua áspera,
afiada faca, amarrada.

O pesado fardo,
da farda mimética,
em ombros lanhados carrego,
mimetizados sentires.

Sou dor, pavor, desespero,
dono de vazio coração,
que me cala, me trava a língua,
amargo.

Descubra-me.

Read more...

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Esperas

Hoje estou AQUI. Te espero lá.

Read more...

quinta-feira, fevereiro 14, 2008

Contra a pedofilia, em defesa da inocência - Blogagem coletiva


Hoje tem blogagem coletiva promovida pela Luma, do blog Luz de Luma. É sobre pedofilia, um tema forte e que a única coisa, que me vem à cabeça para publicar, são as punições que considero adequadas para os filhos da puta que a praticam. Como essas abaixo.




Mas na verdade eles deveriam fazer um favor à humanidade e se matarem. Minha sugestão:


Se não sabem fazer o nó de forca aprendam AQUI e AQUI.

Read more...

Divulgando

Tem um novo capítulo da saga intergaláctica "National Kid e as ninfas de Urânus". Prestigiem lendo AQUI.

Read more...

terça-feira, fevereiro 12, 2008

Apóstolo


Meu andar bamboleante
de bêbado errante
cruza a fronteira
entre o divino e o profano.

Abençôo igual,
democrático,
beatas e putas,
o padre e o cafetão.

O círculo se fecha,
coroa de espinhos,
mesa posta, cálice, o pão
traio-me por minguados
trocados.


-----------------

Participe do concurso literário de peças de ficção "Faça você mesmo o código de ética do PT". Maiores informações AQUI.

Divulgando: O excelente Marcos Pontes, do blog Esculacho e Simpatia, informa que ainda tem os últimos exemplares de seu livro para venda. Maiores informações no email pontes.mr@gmail.com.

Read more...

segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Nasce um novo "mago"

Depois de uma áruda seleção apresentamos o "mago" Ychronus Lerdaes, conhecido no mundo esotérico como "o mago" Ykhro (pronuncia-se: icro).


De linhagem consanguinea escandinava, é filho de um rico casal de professores, especialistas em Arqueologia Comparada, que despertaram desde cedo no "mago" Ykhro o gosto pelas viagens intercontinentais e o ajudaram a entender sua vocação para trilhar o Esoterismo Oportunista do "mago" Heitor Caolho. Ao viajar com os pais em cruzeiros marítimos ou singrando os oceanos em modernas embarcações turísticas, conheceu e hoje domina a lingua portuguesa - sua preferida para a comunicação escrita, por considerá-la gramaticalmente a mais rica . Todavia, somente quando se associou ao gigantesco truste da Hector Hereeye Foundation passou a chamar a atenção de editores brasileiros para suas obras já publicadas em lingua inglesa.

Conquistou o grau de PhD em Psicologia Holística pela Oceanic Tantrism College University, em uma das famosas Ilhas Feroe.

Sua mais conhecida obra literária é o livro bestseller na Ásia "The Uterus Immersion by Mind", que está para ser lançado no Brasil com o título: "A Psicologia Gestacional Holística - O Segredo e a Técnica do Pensar Antes".

Algumas de suas ministrações de treinamentos são feitas no Brasil por um aluno de suas técnicas mais avançadas que, ao ser submetido aos mesmos testes de resistência e pressões psicológicas aplicados pela NASA para escolher seus astronautas, ficou conhecido como "Lerdo em Surtar".

O Lerdo em Surtar foi escolhido o porta-voz do "mago" Ykhro na função de presidente da Hector Hereeye Foundation para a América Latina, justamente pelos seus atributos intelectuais multiqualificados no seu histórico: PHD em Finanças Públicas, grau conquistado em Londres; Mestrado em História da Religião e Pós-graduação em Filosofia. Some-se a isso o seu fluente domínio da lingua inglesa, além de atuar como tradutor de Espanhol instrumental.

Quanto ao "mago" Ykhro, o seu porta-voz Lerdo em Surtar recorda que entre os relatos mais populares de seus feitos - que o levaram a se tornar uma lenda dentro e fora do Esoterismo -, está a cura mental de um paciente acometido de uma doença rara chamada Tetrapressismo Crônico e que, no momento da cura instantânea, limitou-se apenas a ouvir uma de suas palestras em meio a uma platéia de mais de seiscentos espectadores.

Algumas das técnicas usadas pelo "mago" Ykhro em seus seminários e cursos de combate à milenar doença nervosa conhecida internacionalmente como "stress" acabaram sendo deturpadas, a exemplo do nome de seu famoso exercício para harmonização de casais conhecido como A Postura da Despressurização Anímica que ao ser ensinado por falsos mestres ficou conhecido como "Posição do Relaxa e Goza".

O "mago" Ykhro já recusou convites de políticos para fazer previsões quanto às carreiras deles e sobre o futuro de seus partidos, respondendo-lhes sempre que somente há um oráculo confiável entre os seres humanos para uma tarefa tão ligada ao Divino Nirvânico - e logo deixa claro que ele se refere ao grande Heitor Caolho.

Read more...

sábado, fevereiro 09, 2008

Aviso aos amigos blogueiros e navegantes


Estão nascendo mais duas crias do mundo blogueiro!

Quem estiver interessado em adquiri-las, faça desde já a reserva pelo e-mail:

lobamulher@uol.com.br

Preço de cada livro, já com postagem para dentro do país: R$ 20,00

---------------------------------------------



A Hector Hereeye Foundation procura profissionais, de ambos os sexos, com larga experiência, para ocupar cargos de confiança e responsabilidade. A Hector Hereeye Foundation vem apresentado crescimento sustentado, atuando em um dos mercados mais competitivos e dinâmicos do mundo, o do esoterismo oportunista. Possuindo filiais em todos os rincões da humanidade, o profissional escolhido irá comandar uma das regionais da Hector Hereeye Foundation.

A organização sem fins lucrativos oferece:

Excelente ambiente de trabalho;
Mercado desafiador;
Remuneração compatível;
Benefícios como: carro, chateau e jato particular para deslocamentos;
Participação nos resultados.

A Hector Hereeye Foundation exige:

PHD em Finanças Públicas e Internacional;
Mestrado em História da Religião;
Pós-graduação em Filosofia;
Pós-graduação em Tântrismo Dialético;
Inglês fluente, desejável também: Francês e/ou Espanhol;
Disponibilidade para viagens.

Aos interessados enviar CV com foto para heitorcaolho@gmail.com.

Read more...

quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Meu querer

Não, não quero ir para Pasárgada. Nem quero ser amigo do rei. Quero é ir para o puteiro, onde não quero favores. Não escolherei mulheres. As putas que me amem pelos poucos trocados que trago no bolso. Qualquer uma. As altas, as baixas, gordas ou magras, as falsa pudicas, as devassas. Quero cantar sobre a mesa, minhas canções indecentes. Declamar palavras sujas. Dançar lascivo no meio do salão. Não quero os aplausos. Não os mereço. Apenas me amem.

-----------------

Estou de ótimo humor e respondi a um meme, isso merece uma visita. Leiam AQUI.

Read more...

domingo, fevereiro 03, 2008

Com-partilha


Por um dia,
serei rei,
e do trono,
monarca sábio,
serei justo.

Neste dia,
meus ouvidos abertos,
acolherão os lamentos,
as súplicas.

Teu pedido será ordem,
a coroa será tua,
teus passos, os meus.

Seremos unos na fé,
na batalha, na dor.

Por um dia.


-------------------------------

Está no ar o sexto capítulo da saga inter-galáctica "National Kid e as ninfas de Urânus". Prestigiem lendo AQUI.

Read more...

sexta-feira, fevereiro 01, 2008


natural é a morte,
sobrenatural é a perda.

Read more...

  ©A Cor da Letra. Template e layout por layla

TOPO  

Clicky Web Analytics